Recuperação de cabelo versão “Low Cost”

Sim, é possível recuperar um cabelo danificado sem gastar muito dinheiro. Existem atualmente bons produtos à venda em grandes superfícies e mesmo em lojas especializadas a um baixo preço, que quando utilizados adequadamente, permitem obter bons resultados.

O primeiro passo é a escolha de um bom champô. Já vimos aqui que os sulfatos presentes na grande maioria dos champôs são elementos altamente responsáveis pelo ressecamento da fibra capilar, o que resulta no seu dano progressivo. Assim, o ideal é escolher formulações com um teor baixo de sulfatos.

O champô Tresemmé Liso Keratina – segundo a formulação com um baixo nível de sulfatos – é uma boa opção para quem tem o cabelo liso natural, ou alisado e o pretende manter assim por mais tempo:

tresemme

Para quem prefere o cabelo ondulado, a L’Oreal traz uma gama de champôs sem sulfatos, a linha “Hair Expertise”, à venda também nas grandes superfícies:

lorealeverpure

Esta linha também já foi mencionada aqui.

Passando aos tratamentos amaciadores/reconstrutores…

Para recuperar o cabelo é necessário investir numa boa máscara de tratamento. Na Pluricosmética, temos o tratamento Repair Rescue, da Schwarzkopf, que segundo a marca “apresenta uma poderosa combinação de queratina hidrolisada e um componente de lípidos que restaura a camada protetora de cabelo virgem” e  que “(…) repara o cabelo ao preencher as lacunas estruturais, recupera a elasticidade, fortifica e confere brilho profundo em todos os tipos de cabelo”.

schwarzkopfrepairrescue

Podem conferir mais opções de reconstrução capilar (mas não tão “low cost”!) aqui.

Outra opção também igualmente acessível e muito eficaz é a utilização de óleos para nutrir e recuperar o cabelo. O óleo de côco pode ser comprado em supermercados, e quando aplicado devidamente, permite transformar o cabelo estragado num cabelo nutrido, forte e brilhante.

É importante relembrar que recuperar um cabelo danificado e sem vida exige tempo e muita paciência. Os resultados só começarão a ser visíveis após algumas semanas de tratamento. Quem está habituado a lavar o cabelo no duche pela manhã (e aplicar um pouco de condicionador nas pontas) vai perceber que terá que mudar de hábitos, se quer “salvar” o cabelo! O ideal é guardar estes tratamentos profundos para o fim de semana.

Pre Poo

O que é o Pre Poo?

O Pre Poo, ou Pre Shampoo, é um tratamento hidratante e protetor, realizado antes de lavar o cabelo. Tem a função de proteger o cabelo (em especial as pontas) das substâncias presentes no champô, responsáveis pelo seu ressecamento e enfraquecimento. Porque já vimos anteriormente que muitos champôs são, de facto, responsáveis pelo ressecamento do cabelo, ao eliminarem na totalidade os seus óleos naturais.

Este tratamento consiste na aplicação de óleos – em todo o comprimento, insistindo nas pontas – no cabelo sujo, antes de lavar. Deixamos atuar estes óleos num mínimo de 15 min., e passado este tempo lavamos o cabelo normalmente.

Estes óleos vão funcionar como uma barreira, permitindo a lavagem normal do cabelo, mas impedindo os componentes do champô responsáveis pelo ressecamento e desgaste dos fios de penetrarem na fibra capilar.

Há quem defenda que o ideal é utilizar óleos naturais, como o óleo de cocô. Este procedimento não deve ser confundido com as hidratações com óleos, já mencionadas, pois a função neste caso não é nutrir o cabelo, mas sim protegê-lo. Assim, bastam alguns minutos antes de lavar o cabelo. Mas para este fim podem também ser utilizados outros óleos. Estes dois, na imagem abaixo, são óleos bastante recomendados para este fim e são óleos acessíveis e encontrados facilmente em qualquer supermercado.

prepoo

(1) L’Oréal Elvive Óleo Extraordinário

(2) Garnier Óleo Maravilhoso

(imagens retiradas dos websites mencionados no post)

Hidratação com Óleos Vegetais

A hidratação com óleos (também conhecida como umectação, em várias fontes na internet) consiste na aplicação de óleos vegetais puros no cabelo.

Apesar do nome, na realidade isto consiste numa forma de nutrição, pois este procedimento traz lípidos e óleos à fibra capilar, tornando o cabelo mais resistente, mais forte e brilhante. Para quem segue o cronograma capilar, pode substituir a etapa de nutrição pela hidratação com óleos.

Este procedimento é ideal para cabelos secos, pois permite manter a humidade dentro do fio do cabelo, além de diminuir o volume e o frizz, dar brilho, e tornar os cabelos mais sedosos. É também bastante eficaz no processo de recuperação do fio do cabelo e na prevenção de pontas abertas e danificadas.

A hidratação com óleos deve ser feita com óleos vegetais puros. Na altura da compra, deve existir o cuidado de se verificar se se trata de um óleo virgem – ou seja, que foi extraído sem nenhum processo de refinação e que não foi misturado com outro tipo de óleo.

Assim, este procedimento não pode ser feito com produtos que contenham óleos minerais (mineral oil), parafina líquida (paraffinum liquidum) ou outros derivados de petróleo (petrolatum) – bastante vulgares nos produtos para o cabelo. Ao utilizar algum destes elementos, eles formarão uma “capa” nos fios do cabelo, fazendo com que não penetre qualquer tipo de nutriente na fibra capilar.

Os óleos vegetais mais utilizados neste procedimento são o óleo de côco e o azeite. São óleos baratos, dependendo da marca, e são de fácil acesso. São os dois únicos óleos que, de acordo com a pesquisa científica, conseguem penetrar na fibra capilar.

oleosvegetais

A utilização do óleo de côco no ramo da beleza está a ser cada vez mais frequente. Este óleo traz vários benefícios à saúde, para além de que dá à pele mais vitalidade e elasticidade.

Quanto ao cabelo, como vimos acima, age no interior do fio, reparando, dando brilho e suavidade, reduzindo o volume, eliminando o cabelo frisado e prevenindo pontas duplas. Quando aplicado na raiz, pode potenciar o crescimento dos cabelos – aqui, a massagem no couro cabeludo é muito importante, pois ajuda na circulação sanguínea, fazendo com que o cabelo cresça mais rápido e mais saudável.

O óleo de côco deve ser extra virgem, 100% natural e prensado a frio.

Vende-se normalmente sob a forma de uma pasta branca. Em temperaturas acima dos 25º C esta pasta derrete e fica em estado líquido. Assim, para uma aplicação adequada, é recomendado derreter esta pasta antes de aplicar no cabelo. A forma de aquecimento sugerida varia bastante. Há quem defenda um aquecimento em banho maria, mas também há quem não veja problemas em aquecer este óleo no microondas.

Qunto ao azeite, traz benefícios semelhantes. Fortalece os fios, dando brilho às madeixas e fecha as cutículas do cabelo, mantendo a hidratação dentro do fios. Reduz o frizz e o volume e melhora as pontas. Possui vitaminas A, D, K e E e é considerado um poderoso antioxidante. Também é muito usado em produtos de beleza.

O azeite deve ser extra virgem (pode ser de qualquer marca), sem misturas de outros óleos e com baixa acidez.

Aplicação:

  • SEMPRE com o cabelo seco.
  • Separar madeixas finas e aplicar o óleo em todo o comprimento, insistindo nas pontas. Massajar ligeiramente até sentir que cada madeixa absorveu bem o óleo.
  • O óleo de coco pode também ser aplicado na raiz. Neste caso, a raiz deve ser bem massajada, para os componentes penetrarem bem.
  • Quando o cabelo estiver cheio de óleo, prender e deixar atuar.
  • O tempo de espera recomendado é de pelo menos 1-2h, o tempo suficiente para os fios do cabelo e o couro cabeludo absorverem todas as vitaminas. Contudo, o aconselhado é fazer esta aplicação ao fim do dia/noite e dormir com o óleo no cabelo, lavando normalmente na manhã seguinte. Quanto mais tempo o óleo permanecer no cabelo, melhores serão os resultados.

E para retirar?

Utilizar o champô e condicionador habituais. O ideal é usar água morna na lavagem, e antes de começar a aplicar o champô, lavar com bastante água para retirar a maior parte do óleo do cabelo. Depois, lavar com champô (pelo menos duas vezes) e massajar bem o cabelo (sem movimentos bruscos, sempre com cuidado para não partir). Lavar uma última vez com o condicionador.