Co-Wash

Conforme falado no post anterior, o co-wash é uma técnica de limpeza capilar que determina a eliminação do champô na lavagem do cabelo, geralmente substituindo-o pelo condicionador (amaciador) de cabelo – conditioner wash, lavagem com condicionador. É considerada a técnica base da rotina capilar No Poo.

Recordando, os movimentos No/Low poo partem do princípio de que os sulfatos presentes na maioria dos champôs são altamente responsáveis pelo ressecamento do cabelo. De uma forma mais simples, podemos dizer que os sulfatos “descascam” a fibra capilar, removendo para além da sujidade e óleos acumulados, também a proteção lipídica – os óleos produzidos pelo couro cabeludo, que dão aos fios do cabelo um aspeto saudável. Se o seu cabelo é naturalmente encaracolado, e/ou muito denso e com frizz, perceberá que no dia a seguir a lavar, o cabelo está mais suave, mais maleável e com menos volume – isto acontece porque ao segundo dia, os óleos do couro cabeludo já tiveram oportunidade de penetrar um pouco mais na fibra capilar. Já agora, os sulfatos vão removendo também todos os processos químicos (como tintas ou alisamentos) eventualmente feitos ao cabelo – ou seja, quem pinta o cabelo e decide adotar uma rotina capilar livre de sulfatos, vai perceber consegue manter a tinta no cabelo por muito mais tempo.

Uma vez mais – o  no poo é uma rotina que, quando adotada, deverá ser seguida à risca. Se os sulfatos forem eliminados completamente, mas se se continuarem a utilizar cremes leave-in, máscaras ou séruns com parafina líquida, óleos minerais ou silicones insolúveis, o cabelo não será bem limpo.

Para quem nunca experimentou a técnica de co-wash, vai perceber que esta é uma experiência de lavagem do cabelo completamente diferente. O condicionador, sendo um produto sem sulfatos e normalmente mais emoliente do que o champô habitual, não faz espuma. Mas é importante referir que o condicionador contém igualmente substâncias lavantes e hidratantes, e mesmo sem espuma é capaz de limpar bem o cabelo.

zetaboards

(zetaboards)

Como deve ser feito o co-wash?

Molhar o cabelo, e usando uma quantidade generosa de produto, aplicar da raiz às pontas, massajando sempre muito bem o couro cabeludo para dissolver a sujidade acumulada. Deixar o produto atuar uns minutos e enxaguar.

É utilizada uma maior quantidade de condicionador, pois ao não fazer espuma é necessário mais produto para envolver todo o cabelo. Neste sentido, muitos adeptos do co-wash utilizam condicionadores comprados em supermercados, mais baratos. No blog The Real Hair Challenge podemos ver uma listagem dos condicionadores que a autora, seguidora do método co-wash, prefere para a lavagem.

Os condicionadores da marca The Body Shop (em Portugal, apenas em lojas físicas) são também utilizados por muitos adeptos do co-wash, pois segundo as suas formulações estão livres de sulfatos ou parabenos.

thebodyshop

(sassisamblog, thebodyshopuk)

(1) Condicionadores da linha “RainForest”

(2) Condicionador de Banana

A frequência da lavagem com condicionador é algo pessoal, e acaba por depender da necessidade de cada cabelo.

Que tipo de cabelo é indicado?

A não ser que o seu cabelo seja Afro, ou muito seco com caracóis, o co-wash deverá ser assumido como um complemento, e não como uma substituição da lavagem habitual com champô. Um cabelo liso e fino pode não encontrar benefícios no co-wash – este cabelo tem tendência a ficar oleoso mais rapidamente. Mas se o seu cabelo (liso ou encaracolado) é pintado ou alisado, ou está seco e quebradiço, o co-wash é uma alternativa, considerada por muitos, revolucionária – ao fim de algum tempo os resultados são um cabelo mais forte, mais brilhante, com menos quebra e menos frizz – e os cabelos pintados “seguram” a cor por muito mais tempo.

Aproveitando a moda do co-wash, algumas empresas especializadas em cuidados capilares têm desenvolvido “cremes de limpeza”, livres de sulfatos. Estes produtos limpam, hidratam e condicionam numa só etapa e de forma suave, sem espuma ou agentes surfactantes, deixando o cabelo suave e sem frizz.

cremesdelimpeza

(1) Cleansing Conditioners Matrix Biolage

(2) Aveda Be Curly Co-Wash

(3) Macadamia Flawless Cleansing Conditioner

(4) Mizani True Textures Cleansing Cream Conditioning Curl Wash

(5) Palmer’s Olive Oil Formula Co-Wash Cleansing Conditioner

Estes produtos podem ser comprados nas lojas online Lookfantastic e Feelunique (restantes imagens retiradas destes dois websites).
Os links de lojas online internacionais incluídos neste blog são sempre de locais que enviam para Portugal com portes baixos ou mesmo gratuitos.

No Poo e Low Poo – o que é?

As expressões no poo e low poo surgiram do livro Curly Girl: The Handbook.

Curly Girl: The Handbook (Barnes and Noble)

São duas rotinas de lavagem do cabelo, que partem do principio de que os champôs vulgares, que utilizamos normalmente, contêm substâncias bastante agressivas para o cabelo – os sulfatos. O champô é um detergente, e como tal, remove a sujidade e produtos acumulados. Contudo acaba também por, inevitavelmente, remover a proteção lipídica da fibra capilar – os óleos naturais e necessários para um cabelo forte e saudável.

Para percebermos melhor…
O Sodium Laureth Sulfate (SLS) ou Sodium Lauryl Ether Sulfate (SLES) são agentes químicos inicialmente usados nos produtos de limpeza da indústria automóvel e química, e atualmente utilizados nos mais variados produtos de cosmética (não só champôs, como sabonetes ou pasta de dentes). Estas substâncias ajudam à produção elevada de espuma, permitindo uma melhor distribuição do produto durante a lavagem do cabelo, pele ou dentes. São substâncias altamente irritantes para a pele, mucosas e olhos.

Antes e Depois, utilização de sulfatos em produtos capilares:

missrustynet

(missrusty)

Lorraine Massey, a autora deste livro (para muitos, completamente revolucionário, no que toca ao entendimento e tratamento adequado do cabelo seco com caracóis), inspirou-se no seu próprio cabelo e tem inspirado também nos últimos tempos uma série de pessoas a seguir o seu método. De acordo com a autora, a forma em espiral dos caracóis impede que a oleosidade natural do couro cabeludo se espalhe de maneira uniforme ao longo dos fios do cabelo. Esta falta de oleosidade torna os cabelos com caracóis mais suscetíveis aos danos externos. O cabelo com caracóis tem também tendência a ser mais poroso do que o cabelo liso, o que torna o enxaguar total do champô praticamente impossível.

Antes e Depois, utilização de sulfatos em produtos capilares:

RockynCurls

(rockyncurls)

Mas as rotinas no/low poo não são necessariamente apenas para quem tem caracóis. Devido às consequências comprovadas do uso continuado de sulfatos nos produtos capilares, a diminuição do seu uso é especialmente benéfica para quem tem cabelo seco, ressecado, quimicamente tratado ou crespo.

Antes e Depois, utilização de sulfatos em produtos capilares:

thebeautydepartment

(thebeautydepartment)

 

No Poo (no shampoo, traduzindo diretamente, sem champô)
Nesta rotina é eliminado completamente o uso do champô. Para além dos produtos com sulfatos, são também abolidos todos os produtos capilares que contenham silicones, óleos minerais e derivados do petróleo (substâncias que são altamente vulgares nos produtos capilares). Os silicones, óleos minerais e petrolatos fixam-se sobre a superfície dos fios do cabelo, criando uma película insolúvel – e ao não serem solúveis na água, só são removidos com sulfatos fortes.

A única forma de perceber se estas substâncias estão presentes ou não nos produtos capilares é lendo os ingredientes no verso das embalagens.
Assim, quem segue uma rotina de cuidados capilares no poo, deverá abolir os seguintes componentes:

Sulfatos:
– Sodium Lauryl Sulfate (SLS) – o mais comum e mais barato de todos os sulfatos;
– Sodium Myristyl Lauryl Ether Sulfate (SLES) ou Sodium Laureth Sulfate;
– Sodium Myreth Sulfate;
– Sodium Myristyl Sulfate;
– Ammonium Lauryl Sulfate (ALS);
– Ammonium Lauryl Ether Sulfate(ALES).

Silicones insolúveis:
– Trimethylsilylamodimethicone;
– Amodimethicone;
– Cyclopentasiloxane;
– Cyclomethicone;
– Dimethicone;
– Cetyl Dimethicone;
– Cetearyl Methicone;
– Dimethiconol;
– Stearyl Dimethicone;
– Phenyl Trimethicone;
– Simethicone;
– Polydimethylsiloxane;
– Methicone.

 Óleos Minerais:
– Petrolatum;
– Mineral Oil;
– Parafinum Liquid.

Informação retirada daqui.

O no poo é uma rotina que, quando adotada, deverá ser seguida à risca. Se os sulfatos forem eliminados completamente, mas não se eliminarem os componentes insolúveis listados acima, o cabelo vai ficar saturado, perder o brilho e ficar com um aspeto sujo e sem volume.

A forma mais conhecida de seguir uma rotina capilar no poo é adotando a técnica de co-wash (conditioner wash, traduzindo à letra, lavagem com condicionador).

(sobre esta técnica, e alguns produtos sugeridos, será feito um post na próxima semana.)

Low Poo (low shampoo, traduzindo diretamente, baixo/leve champô)
A rotina low poo utiliza sulfatos com formulações mais suaves, e de forma moderada. Esta técnica admite o uso do champô, mas champôs considerados mais “leves”. E quem segue esta rotina capilar usa também de forma moderada séruns ou outros produtos (leave-in, máscaras, por ex.) com substâncias insolúveis.

(sugestões de produtos adequados a uma rotina low poo em próximo post)

Aqui está Lorraine Massey falando um pouco melhor das suas técnicas – e na internet encontram-se bastantes testemunhos de pessoas que aboliram completamente o uso de sulfatos (ou que diminuíram significativamente o seu uso) nos produtos capilares, e que perceberam melhorias consideráveis na condição do cabelo.

(editado a 08/02 para acrescentar algumas imagens “antes/depois”)